Entrevista: Karen, a Mamãe de Casa

Conheci a Karen na oportunidade que tivemos de organizar um evento juntas. Trocamos poucas palavras e me lembro que ela carregava mão que não trabalhaseu filho mais velho Gustavo no canguru e amamentava enquanto decidíamos algumas coisas. Falamos pouco, mas a conexão foi imediata. Ainda não conhecia seu trabalho de blogueira, mas logo que comecei a acompanha-la percebi o porque desse sentimento.

Temos formas muito semelhantes de levar a maternidade e por coincidência do destino (ou não) temos um casal com idades muito próximas. Entre uma carona e outra, um evento e outro, uma conversa e outra, ela foi se tornando uma grande amiga que adoro conversar e compartilhar experiencias.

Nessa semana de dia das mães, depois da entrevista de outras mães que trabalham fora, porque não falar dessa mamãe que deixou tudo para ser “Mamãe de Casa”!

  1. Quando começou em você a vontade de ser mãe? 

Desde que me lembro, sempre quis ter filhos!

  1. Como foram as tentativas para isso acontecer?

Começamos as tentativas depois do segundo aniversário de casamento. Um ano depois, sem sucesso, sofremos um assalto e eu decidi que ia esperar mais tempo, fiquei meio traumatizada sobre “colocar um filho nesse mundo”… mas o Gustavo já estava lá e um mês depois descobrimos… Por conta da amamentação prolongada nunca tomei anticoncepcional, só nos cuidávamos pra não engravidar. E bastou deslize para ganharmos o susto mais lindo do mundo! A Rafaela estava programada para chegar um ano depois, mas logo após a festa de 2 anos do Gustavo, encomendamos nossa princesinha.

 

  1. Você trabalhava fora quando engravidou, como foi esse tempo para você no trabalho X maternidade? Como via que seria essa relação?

Sim. Trabalhava em uma agência de publicidade, fazendo ações em shoppings e lojas. Era um ritmo insano, trabalhava das 8h às 19h e muitas vezes acompanhava instalações de madrugada. Nunca imaginei conseguir conciliar a maternidade com o ritmo que eu trabalhava. Mas na gestação minha chefe pegou bem leve comigo!! 

 

  1. Quando e porque você decidiu deixar o lado profissional de lado para investir na maternidade ativa e presente?

Sempre foi meu sonho ser mãe em tempo integral e abrir mão da carreira, mas quando a realidade bateu à porta, decidimos mesmo faltando algumas semanas para acabar minha licença maternidade.

mamãe de casa

  1. Como era essa decisão para seu marido? Como isso impactou a vida financeira de vocês?

Foi uma decisão em conjunto. Tanto minha mãe, quanto a mãe dele fizeram isso pelos filhos por muitos anos e acredito que a naturalidade com que ele encarou a situação e o apoio tiveram total influência no reconhecimento e no valor que ele teve por sua mãe. Financeiramente nos deixou bastante desconfortáveis, mas conseguimos nos manter firmes e os resultados vieram logo. A tranquilidade do meu marido, em saber que o Gu estava sendo cuidado por mim era muito maior do que a falta que o meu salário estava fazendo.

 

  1. Hoje, depois de dois filhos, como vê essa decisão?

Imprescindível para a criação dos meus filhos. A forma como nós gostaríamos de criá-los, só poderia ser feita abrindo mão do meu trabalho. Não me arrependo em nada. Se fosse diferente eu seria uma mãe carregada de culpa e de frustrações.

 

  1. Uma das maiores questões que as pessoas têm hoje sobre o Gustavo especialmente é o fato de ele não frequentar a escola. Como foi essa escolha e porque?

Acredito que a escola seja necessária para oferecer socialização e estímulos. Porém acredito que essas necessidades são importantes a partir do momento que os valores e princípios já estão enraizados na criança. Na primeira infância tudo o que eles precisam é de amor, carinho e segurança e eu acredito que ninguém melhor do que os pais para suprir essas necessidades. Por outro lado sinto uma pressão e um peso enorme da responsabilidade de que eu tenho que criar uma criança que “deu certo”, afinal não tenho como colocar a culpa na escola errada, na professora despreparada, no amiguinho mau influente.

 

  1. Como as pessoas costumam reagir a essa escolha e como você se sente com essa reação?

Já ouvi que sou louca, que sou corajosa… Mas sempre me questionam como é que eu aguento ficar o dia inteiro com os meus filhos. E não tem uma só vez que eu não me espante como tal pergunta. Bom, são MEUS filhos, né?! Algumas pessoas se surpreendem por ele já saber tantas coisas que os seus filhos, já “escolados”, não sabem. Me sinto um ET, pra falar a verdade! Como se eu estivesse andando na contramão, mas sempre me surpreendo com o quanto minha escolha tem dado certo.

dona de casa

  1. Como você se ve como mãe? (que tipo de mãe você acredita que é?)

Eu sou aquela mãe super protetora que faz um esforço sobre-humano pra deixar que os filhos passem por experiências que os amadureçam. Minha vontade é de protegê-los de tudo que possa ferir seus corações, livrá-los de todas as frustrações, mas luto diariamente contra essa vontade pois sei o quanto é importante deixar que vivam isso. Em contrapartida sou uma mãe extremamente tranquila em relação a desafios. Deixo que subam, escalem, corram para longe. Confio totalmente no que eles são capazes de fazer e fico à disposição para o que eles precisarem de ajuda.

 

  1. E essa mãe corresponde ao que acreditava que você seria antes de engravidar do seu primeiro filho?

Nunca pensei muito a respeito de que tipo de mãe eu seria. Imaginava que teria um filho perfeito, desses que comem bem, que dormem bem, calmos, que brincam bonitinhos sentados ao lado dos amigos.. O que recebi foi um filho totalmente oposto disso, me ensinando que a maternidade é imprevisível.

 

  1. Qual a sua maior dica para mães que como você tiraram um tempo nesse início de vida de seus filhos para se dedicar exclusivamente a eles e a sua casa?

A primeira dica é SE JOGA! Curta a maternidade de forma plena, sem se preocupar com horários, rotinas, regrinhas, colo demais, sono de menos… A segunda é deixe para depois o que não for prioridade. No começo eu passava o dia todo arrumando a casa, deixando tudo impecável, até que percebi que não estava aproveitando meu tempo com meus filhos, só me preocupando com deixar tudo em ordem. A louça pode esperar, o lixo dos banheiros também… Viva a maternidade intensamente!

Gostou? Conheça mais do trabalho da Karen:

Blog www.mamaedecasa.com.br

Facebook www.facebook.com/blogmamaedecasa

Instagram www.instagram.com/mamaedecasa

Youtube www.youtube.com/mamaedecasa

Twitter www.twitter.com/mamaedecasa

Beijos

Related Post