Mãe pode sentir solidão!

Quando grávida, me preparei para ser mãe. Li livros, sites, tinha a receita perfeita para aqueles dias que seriam difíceis, eu sei, mas muito recompensadores. Já sabia o que era babyblues e esperava até sentir algo parecido, já sabia o que era depressão pós-parto e não liguei muito porque tinha certeza que não teria: depressão, eu?! Mas não li em lugar algum a possibilidade de sentir solidão.solidão materna

Se lesse, duvidaria! Bem casada, família próxima, amigos maravilhosos e meu maior sonho nos braços: meu filho! Como se sentir só nessa situação? Pois, depois do meu filho nascer, eis que descobri que a solidão independe de companhia, ela esta dentro de nós.

Mesmo com muita gente em volta, muitas vezes até mais do que eu gostaria, me sentia perdida, queria todos os dias tentar descobrir para onde meus atos como mãe levaria meu filho, se aquele recém-nascido ficasse de mais no colo, de menos, na cama, no berço, chorasse, não chorasse: será que eu estaria fazendo a coisa certa? E no meio de tanta dúvida, de tantos hormônios, de tanta loucura, não me senti acompanhada.

Para todos, criar aquele bebê era simples, todos tinham soluções práticas e fáceis, poucos pareciam se importar como eu estava me sentindo e se eu demonstrasse estar cansada, estressada e até triste, via alguns olhares de reprovação, como se por ser mãe, eu devesse sempre estar feliz. Não me leve a mal, estava, muito, extremamente agradecida, mas isso não me impede de estar também cansada e estressada. Ter um recém-nascido em casa pode ser sim estressante (disso pode ser? É).

Pois bem, essa falta de empatia com a recém mãe me fez só. Hoje vejo que para os outros é fácil porque se o bebê chorar, levam até a mãe, se ele não dormir, chamam a mãe, se ele estiver sujo, a mãe, se estiver com fome, a mãe. Não interessa se a mãe era realmente necessária, mas a verdade é que ela é, entre todos no mundo, a única que não desiste de seu filho e de fazer o melhor para ele.

Mesmo nas noites vazias, com o bebê pesado chorando e as costas doendo, mesmo no cansaço extremo, mesmo que não tenhamos dormido, nosso colo está sempre aberto para receber nosso filho, sempre! Não há desistência, não há quem possa substituir isso, não há ninguém que vá fazer pelo nosso filho o que estamos dispostas a fazer e isso nos traz a incompreensão, nos traz a solidão!

Poucas são as pessoas que conseguem deixar as selfies com o bebê de lado e olhar profundamente para uma mãe solitária, que conseguem deixar de pegar o bebê no colo para dar uma mão na casa, poucas são as pessoas que realmente se preocupam com como a mãe esta se sentindo e que não irá julgá-la mesmo que a resposta não seja boa.

É difícil explicar como pode ser esse sentimento no puerpério, essa dúvida, esse buraco que parece ficar aberto no peito. Muitas vezes dura meses, anos! Muitas vezes passa. Como eu disse, nem eu acreditaria se lesse que isso poderia acontecer. Mas quem sabe, se eu soubesse que aconteceria, não me sentiria ainda mais só, por achar que só eu me sentia só em meio ao sonho, em meio a tanta companhia em meio a melhor companhia de todas!

A verdade é que sentir solidão é comum! Saiba disso mamãe recente, gestante ou quem sabe alguém que possa estar perto de uma mamãe agora, saiba que não há nada de errado nisso e que não precisa se sentir mal. Saiba que tem aqui uma mãe que se sentiu assim no seu primeiro filho e que encontrou na amizade com outras mães na internet a companhia que não sentia dos próximos, a companhia necessária para se fortalecer. Por isso, jamais tenha vergonha de pedir ajuda, de buscar companhia de tentar se encontrar! Ser mãe pode ser difícil e cansativo, mas não deve ser sofrido, jamais! E só você poderá se ajudar, só você poderá pedir a ajuda necessária, por você e por seu bebê! Faça…

Related Post