Relato Parto Domiciliar Chiara!

Meu relato poderia começar no dia das contrações, do parto, dos sinais tão desejados que o nascimento se aproxima, mas começará hoje! Às 40 semanas e 4 dias da minha segunda gestação e aparentemente sem nenhum sinal de parto próximo. Hoje, quando a ansiedade e até um pequeno desespero se aproximam.Gestante 40 semanas

Com um primeiro parto normal hospitalar, decidi por um segundo domiciliar. Tomei essa decisão, pois, além de ter tido uma excelente experiência dentro de minha casa no primeiro parto, chegando ao hospital com 9 centímetros de dilatação, eu desejo essa entrega, essa experiência, essa saúde para nós, essa compreensão do nascer que para mim, no momento em que me encontro, não poderia acontecer em outro lugar que não aqui em casa.

Porém, o que pensar se o tempo esta passando e ele pode ser um limitador importante entre manter o plano A e correr para o B? Claro, a gente sabe quando se entrega ao parto humanizado que existem outros planos e muitas vezes o nosso não é o ideal para termos com saúde nosso filho e aceitamos isso, mas no coração não deixa de ficar um certo medo, uma certa decepção e angustia!

Meu coração diz que será tudo lindo, sinto dessa forma! Mas que o passar do tempo nos deixa duvidosas até dos nossos mais profundos sentidos, isso deixa! Hoje começo meu relato porque hoje começa o meu parto mental também e minha preparação para um trabalho de parto natural, se Deus quiser, como sonhei!

Recebi diversas dicas para ajudar o início do trabalho de parto, entre elas, caminhar! Eu já subo muitos degraus e com um filho de 1 ano e 10 para cuidar, não paro quieta, mas depois da dúvida, senti uma necessidade enorme de me doar mais ao bebê que estava no meu ventre e caminhar, só nos duas, parecia uma excelente ideia. Aproveitei para conversar com ela, ouvir as músicas que separei para o trabalho de parto, sentamos num lugar calmo, na grama e respiramos, como a doula Cassia havia me ensinado, foi realmente um momento incrível que pouco tive a oportunidade de ter durante a gravidez.

Marquei com a Cassia na sexta-feira acupuntura, fiz o tal chá da Naoli também e me mantive bem aquecida e fiz um belo escalda pés, reparei que ao ir ao banheiro, um muco mais grosso havia saído, chorei em agradecimento para a minha filha por mostrar que estava se aproximando pela primeira vez! Essa noite, comemos um foundue, só eu e marido, foi uma delícia! Aquele clima romântico e também seguindo dicas, tivemos um belo momento de amor!

Deitamos talvez meia noite e meia, uma hora. Pouco tempo depois comecei a sentir contrações médias (mais fortes do que quando começou o tp do meu primeiro filho), mas tentei voltar a dormir. Eram 2:40 quando preferi me levantar, ficar deitada realmente não estava me favorecendo! Fui calmamente até a cozinha, fiz um chá, comi bolachas e decidi arrumar a cozinha. Nessa hora, lavava um prato, respirava uma contração, lavava outro, mais uma, as contrações eram de 3 minutos mais ou menos de intervalo e 50 segundos de duração, porém nem sempre tão regulares. Desde o meu primeiro parto, as contrações eram muito próximas, mesmo no início, não liguei muito para isso então, mas marquei para mandar para a equipe.Parto humanizado

Montei um grupo no Whats App para preparar a linda equipe que formei, era exatamente 4:26 quando mandei a primeira mensagem e logo tive varias respostas, perguntas e etc. Depois de responde-las e pedir para a Cassia vir, já com grande dificuldade, acordei o marido. Não sabia como seria a madrugada e optei por deixa-lo dormir e descansar (meu filho mais velho dormia essa hora). Falei: “Amor, estou com contrações já, e são fortes!”, ele se levantou. Pedi que me ajudasse a contar as contrações porque eu ia entrar no chuveiro.

Levei a bola junto, não conseguia ficar nela, marido trouxe uma banqueta alta e lá fiquei com as mãos apoiadas! Desde as primeiras contrações, respirava como a doula havia me ensinado, enchia bem a barriga e tentava relaxar o útero, imaginava o oxigênio indo para lá! Percebi que muitas vezes era impossível relaxar e parecia a pior contração do mundo! Quando entrei no chuveiro a dor já estava enorme, àquela hora que você se pergunta se seria melhor estar no hospital, mas realmente a água quente ajudava muito e a inspiração profunda ganhou uma expiração com som de “ahhhh”! Tudo isso foi essencial para manter o controle da situação com calma, respeitar e ouvir nosso corpo, aceitando as dores e favorecendo o relaxamento da musculatura para nosso corpo trabalhar! Deus é perfeito e nos fez perfeitos para isso, nós que tentamos interferir de mais!

Sei que tudo se intensificava, marido ao lado marcando os tempos e tentando encaixar a mangueira que encheria a banheira dos sonhos! Em um momento falei: “desencana disso, esta forte de mais!” Elas vinham quase sem intervalo e senti algo que parecia ser a bolsa romper! Sei que entrei no expulsivo quando o “ahhh” uniforme deu lugar para um mais forte! Eu gritava, mas não era de dor, era uma força gigante que veio dentro de mim, nem minha voz se manteve a mesma, ela mostrava aquela força!Parto humanizado

Percebi isso e resolvi me agachar, antes impossível, agora, perfeito! Enquanto a força me fazia (isso mesmo, ela tomou conta de mim, não tinha escolha a não ser respeitá-la!), toquei minha vagina e percebi que minha Chiara vinha descendo, senti sua cabecinha saindo nessa contração. O marido tentou me ajudar para poder segurá-la, mas não dava para me mover, já não havia tanta dor, aguardava a outra contração enquanto sentia ela se ajeitar para sair! Sensação incrível. Não demorou muito, veio outra, a força louca tomou conta e quando vi ela estava nos meus braços, peguei e abracei contra meu peito. Ela estava lá, de olhos abertos, linda, sem nenhum choro. Confesso que me assustei um pouco com a calma e falta de reação, assoprei seu rostinho, ela tossiu, ufa! Marido trouxe uma toalhinha e saímos do chuveiro, a doula chegou!

Fomos gentilmente conduzidas a minha cama, abraçadas. Cassia nos ajudou enquanto o papai doulo tentava curtir o momento. Logo chegou o resto da equipe trazendo mais luz e nos ajudando com a saída da placenta, examinando minha pequena guerreira. Apesar do parto não ter tido assistência, o pós que é essencial teve muita! A Cris (Balzano) e a Ju (Freitas) ficaram lá, calmas, tranquilas fazendo seu trabalho, enquanto contávamos a historia e riamos! Chiara mamou pela primeira vez e segue mamando como nunca!Parto humanizado

Chiara nasceu e nos trouxe ainda mais luz, veio dia 27/05 às 05:27, com 40 semanas e 6 dias, com 3,650kg e 49 cm, trabalho de parto curto e intenso, sem banheira, fotos ou filmagem como mamãe planejou, fez do jeito dela, chegou tranquila, me trouxe essa força toda que ficou no pós parto e com certeza para o resto da vida! O momento só não estava perfeito, porque Bento (o filho mais velho) ainda dormia, mas acordou para o café na cama familiar! No começo estranhou a irmã, mas logo se apaixonou por ela. Pediu para ver minha barriga pela última vez, como fazia sempre durante a gestação, dessa vez, ao invés de apontar o umbigo e exclamar “bigo, mã, nenê!!!” só falou “bigo”.

Parto humanizado

E assim é a historia de uma mãe que confiou em si, no seu corpo, sua filha e em Deus e pariu em seu chuveiro com o melhor assistente que poderia ter, o papai! E assim, é a historia de um homem que confiou em sua mulher, mãe de seus filhos e a tranquilizou e a deixou segura! E assim é a historia de uma família que cresce, se fortalece e segue enfrentando a vida, porque o parto só é um ritual de passagem para a maternidade, paternidade e todas as maravilhas, mas principalmente dificuldades que virão! Obrigada a todos pela assistência, obrigada minha filha por ter me escolhido como seu portal de entrada nesse mundo , obrigada Deus, mundo, vida! Só consigo agradecer, me sinto abençoada por poder viver um momento assim!

Related Post