Entrevista: Sorrindo com Yasmin! Síndrome de Down é muito AMOR!

Quando engravidamos, esperamos que nosso filho nasça “perfeito”, dificilmente uma mãe imagina um filho com alguma síndrome ainda gestante, porém essa é a realidade quando nasce de muitas mães. O começo pode ser difícil, muito pelo mesmo medo que toma conta de todas as mães, o medo de não dar conta, depois pelo medo do sofrimento do filho e talvez, até das mudanças que terá que fazer, porém, nada como o tempo para nos mostrar que damos conta de tudo e que o que parecia um problema é na realidade a solução. Logo que conheci o perfil da Suzane, mãe da Yasmin, criança com Síndrome de Down, me apaixonei e corri para convidá-la para falar um pouco dessa experiencia aqui!

A primeira vez que tive um contato maior com a Síndrome de Down, eu tinha 17 anos, namorava um menino que tocava violão em uma instituição que auxiliava pessoas com a síndrome na frente da casa dele e todo mundo estava louco para me conhecer. Cheguei lá meio tímida e sorri, dei a mão, abraço e fui tratada com um carinho que nunca tinha visto antes, uma moça olhou para mim e falou: “Ela é Linda!”. Quando fomos embora ele me disse: “Isso que amo nesse trabalho, você viu como ela te achou linda? Ela não queria dizer fisicamente!”

Nunca mais tive contato com ninguém, ate que me mudei para a casa do meu marido. Aqui no condomínio tem um jovem com a síndrome, nunca conversei muito com ele, além das conversas normais de dia a dia, mas toda vez que o vejo, ele esta andando para o trabalho, aula de música em uma calma que é só dele e me faz sorrir. Nunca vi os pais atras dele, ele tem uma vida que poderíamos chamar de normal, faz curso, trabalha, não necessariamente depende que o levem ou busquem porque é tudo perto e é feliz em sua condição. Sempre que o vejo penso que o “problema” não esta na pessoa e sim na forma em que ela é tratada e educada. Ele não teve distinção e adora essa confiança que os pais tem nele.

Foi isso que percebi no Instagram da Suzane, não é uma criança com ou sem síndrome ali, é simplesmente uma criança com suas diferenças assim como todas as outras. Uma criança incrivelmente linda, assim como sua irmã mais velha Sarah que não tem a síndrome. Uma família linda! Me apaixonei por elas e pela forma de verem a síndrome e a mamãe tão atenciosa, me deu a chance de conhece-las melhor!

Nome mamãe: Suzane Bertoja Manzatti
 
Cidade onde mora: Campo Largo-PR
 
Nome papai e irmã: Murilo Manzatti e Sarah Manzatti
 
  • Conte um pouco da sua historia com seu marido, sobre sua primeira gravidez.
Após 3 anos de casamento, resolvemos tentar nosso primeiro filho, foi quando tive alegria de alguns dias de gestação que acabou sendo interrompida por um aborto espontâneo , 3 meses depois estava grávida de Sarah, uma gestação saudável, sem complicações onde após 37 semanas ela nasceu linda e saudável.
 
  • Como foi a decisão de ter um segundo filho?
Eu sempre quis ser mãe de 3 filhos, antes da Sarah completar 1 aninho eu já tinha parado de tomar anticoncepcional, não imaginava que ficaria grávida tão rápido novamente, então no dia do aniversário de 1 ano da Sarah, contei para minha família que teríamos outro bebe a caminho.
 

  • Como descobriu sobre a possibilidade de a Yasmin ter síndrome de down?
Tanto da Sarah quanto de Yasmin sempre tive acompanhamento de excelentes profissionais, sempre segui todo protocolo de um pré natal “bem feito” até o dia que fui realizar um exame chamado cardiotocografia, para saber como Yasmin estava dentro da minha barriga nas últimas semanas dentro dela, e o resultado foi que Yasmin não estava bem, pois não respondeu a nenhum estímulo externo, resultado, saí da sala de exame direto para a maternidade com 34 semanas de gestação. Yasmin Nasceu Linda e saudável, não precisou de UTI, veio para o quarto comigo e pegou super bem o seio. 
 
  • Você só descobriu a síndrome depois que Yasmin nasceu, como foi a gestação? Houve suspeitas nos exames como, por exemplo, de translucencia Nucal?! 
Nunca.
 
  • Como foi a sua reação e pensamentos quando soube que teria um filho com síndrome de down?
Ainda na sala de parto, a obstetra me falou que minha filha poderia ter alguma sindrome provavelmente SD, foi quando eu pensei, meu Deus, e como que os exames todos sempre foram “normais”? tem alguma coisa errada. Logo que cheguei no quarto contei para meu marido e meus pais que alí estavam. Todos tentam disfarçar o desespero, eu tambem estava desesperada pois não sabia o que teria que enfrentar, afinal, você espera por 9 meses um filho “normal” e te entregam uma filha com SD. Mas o meu “luto” foi de 3 dias, durante 3 dias eu chorei, e perguntei “porque comigo”? Depois disso, eu vi que não tinha nada demais, assim como a Sarah ela nasceu linda e saudável, e é a minha filha tão amada. 
 

  • Quais as principais dificuldades que teve com ela nos primeiros meses?
Durante os 3 primeiros meses nenhum médico me confirmou a Sindrome de Down na Yasmin, devido ela não ter todas as características predominates (Mão com linha unica, dedos dos pés separados, orelha na linha do olho…etc) então tive que esperar sair o resultado de um exame chamado cariótipo,  qual confirmou a SD. Mas mesmo não apresentando algumas diferenças eu sabia que ela era Down.
 
  • E hoje que ela já tem 1 ano e 10 meses, quais as maiores diferenças para sua primeira filha?
Diferenças? Yasmin foi bem mais fácil para sair das fraldas, com 1 ano e meio não usava mais, e Sarah só saiu com 2 anos.
Yasmin já começou escola regular no ensino Bilinguê e ja entende os comandos em Inglês, Sarah entrou no ensino bilingue só agora, com 3 anos.
Yasmin não fala muita coisa, mas Sarah até os 2 anos não falava nada.
Yasmin é um pouco mais sapeca e desafiadora, não existem obstáculos…
Hoje com 1 ano e 10 meses além da escola regular, Yasmin não faz nenhuma terapia. 
Então respondendo a sua pergunta, a diferença é que ela tem um cromossomo á mais, mas eu ainda estou procurando a Síndrome de Down nela. 
 
  • Qual sua maior dificuldade como mãe em ter uma filha com essa síndrome?
Não tenho dificuldades e nunca tive, também nunca sofri preconceito, muito ao contrário, as pessoas querem ver e conhecer e beijar e pegar…. 
 
  • Você percebe que Yasmin se sente diferente perante as outras pessoas?
Nem Yasmin percebe e nem Sarah percebe alguma diferença, ela só diz “Eu tenho cachos e minha irmã tem o cabelo bem lisinho” 
 
  • Como é a relação dela com a irmã mais velha? 
Normal, amor de irmã.
 
  • Outro dia, li sobre a possibilidade da medicina estar desenvolvendo uma forma de modificar o cromossomo da Sindrome de Down e tornar esse ser humano em um ser “normal”. Se isso acontecer, como ve essa possibilidade?
 
Se isso for bom para a saúde dela, tudo bem, se não, não faz diferença. 
  • Hoje, como é a vida ao lado de Yasmin?
Yasmin é a estrela que ilumina nossa vida. Ela é LUZ por onde passa, eu agradeço a Deus todos os dias por ter me dado ela assim, do jeitinho que ela é. Eu conheci o verdadeiro amor. 
 
  • Qual é seu maior motivo para Sorrir ao lado dessa pequena linda?
Meu maior motivo é mostrar para esse mundo preconceituoso que Sindrome de Down não é doença, e amor. Eles podem tudo, são lindos e únicos.
 
Linda né!? Amaram como eu!? Então corre para conhecer mais da Yasmin e sua familia! No Facebook, no Instagram ou BLog!
Suzane, amei a entrevista e conhecer você melhor, é muito lindo isso que você faz, um trabalho de conscientização que com certeza ajuda muitas mamães em situação parecida e até eu que não vivo essa situação! Te admiro muito!
Beijos
PS: esse post foi em março de 2015! Yasmin continua crescendo linda e forte e sua mamãe ainda posta sua rotina nas mídias sociais levando amor e informação para outras famílias!

 

Related Post